quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Quem fazia parte do Império Romano no ano 70 depois de Cristo? Romanos ou povos do Oriente?

Quero esclarecer neste artigo sobre quem fazia parte do império "Romano" que destruiu Jerusalém em 70 d.C. pelo general Tito, que destruiu tanto a cidade quanto o templo. Porque são muitos os que perguntam sobre Roma, o Papa ser o anticristo e que os italianos que atacaram Israel. Depois de ler muita historia este quadro histórico muda bastante. Vamos la!

E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.
Daniel 9:26


Antes do Império Romano tornar-se um império de fato, foi chamado a República Romana. Nos primeiros dias da República, como foi crescendo para o Império Romano (principalmente antes da virada do primeiro século), a maioria dos soldados (chamados legionários) recrutados para servir nos exércitos romanos (legiões) eram italianos de Roma e das regiões próximas. No entanto, como o Império se expandiu de forma bastante, que somente os homens deste Império serem soldados apenas da Itália.
Não havia homens italianos o suficiente espalhados por todo o vasto Império Romano, que incluía toda a Europa, Norte de África e uma grande área do Oriente Médio. Assim, no início do primeiro século, o imperador Augustus fez uma série de reformas que levaram a mudanças dramáticas na composição étnica dos exércitos romanos. Após as reformas de Augusto, a única parte do exército romano que continuou a consistir em grande parte dos italianos de Roma foi a Guarda Pretoriana; uma unidade militar de elite, cujo trabalho era proteger especificamente o Imperador e as tendas dos generais. Augusto cada vez mais recrutava para o seu exercito homens que viviam nas províncias fora do império, distante da capital Roma. Vamos ver alguns relatos históricos que comprovem:

Publius Cornelius Tácito, historiador e politico romano, que escreveu muitas coisas sobre essa época do Império Romano. Tácito descreve as legiões específicas e os povos que formavam principalmente o exército invasor:
Tito César ... encontrado na Judéia três legiões, o quinto, o 10º e o 15º ... Para estes, acrescentou o 12 º da Síria, e alguns homens pertencentes a 18º e 3º, que ele havia retirado de Alexandria. Esta força foi acompanhado ... por fortes árabes, que odiava os judeus, com o ódio habitual dos vizinhos ... -Tacitus The History New Ed edição do livro 5.1 do Editor: Moses Hadas, Tradutores: Alfred Church, William Brodribb (Modern Library, New York , 2003) 

Para entender melhor o que se passa neste texto, as legiões romanos ficaram na Judeia, Síria e o Egito. Entende-se também que houveram árabes que odiavam judeus e que acompanhavam os soldados. A partir dai se vê o inicio desde ódio mortal pelos judeus.

Outro historiador que quero citar Titus Flavius ​​Josephus, embora eu não gostar muito dele, porem vamos reter o que é bom. Pelo menos seus relatos batem com o de Tacito:

Então Vespasiano enviou seu filho Titus [que], veio por terra para a Síria, onde reuniu as forças romanas, com um número considerável de auxiliares dos reis naquela vizinhança. Flavius ​​Josephus As Obras Completas de Josefo, as guerras dos judeus ou a história da destruição de Jerusalém, Livro III, Capítulo 1, parágrafo 3.

Mas um relato de que as legiões romanas estavam na Síria. (Uma legião continha 5 mil homens). Ele também detalha que "um número considerável" de auxiliares ou voluntários, da Síria e regiões vizinhas também foram recolhidos para o ataque. Mais tarde, Josefo também detalha o número específico de soldados árabes que se uniram forças com os exércitos invasores:

Malco também, o rei da Arábia, enviaram mil cavaleiros, além de cinco mil homens de infantaria, a maior parte dos quais eram arqueiros; para que todo o exército, incluindo os auxiliares enviados pelos reis, bem cavaleiros e lacaios, quando todos estavam unidos em conjunto, totalizaram sessenta mil. - Flávio Josefo As Obras Completas de Josefo, as guerras dos judeus ou a história da destruição de Jerusalém, Livro III, Capítulo 4, parágrafo 2.

Agora vamos olhar para as legiões específicas que foram usadas para atacar o povo judeu, bem como as regiões onde eles estavam durante o período que leva até 70 dC, quando Jerusalém foi destruída. Das seis legiões, apenas uma foi guarnecida para fora do Oriente Médio; sendo esta V Legião da Macedônia. Os restantes das cinco legiões estavam todos no Oriente Médio. Abaixo está uma lista das legiões e onde eles estavam antes de 70 dC.

V Legião da Macedónia: Judéia ou Moesia
X Legião de Fretensis: Síria
XV Legião da Appolinaris Síria
XII Legiãode  Fulminata Ásia Menor / Síria
XVIII Legião do Egito
III Legião de Gallica Síria

Todas essas legiões teria consistido, na sua maioria, de soldados orientais; Árabes, sírios, egípcios, etc. Mesmo a V Legião da Macedônia, embora possivelmente estado em Moesia-ou a Sérvia e Bulgária também teria consistido de uma maioria de soldados orientais. Em 70 dC, não só as Legiões provinciais orientais, mas, literalmente, todo o exército passou a ser dominada por "provincianos". Lawrence JF Keppie, estudioso da história romana e autor de Legiões e veteranos: Roman Army Papers 1971-2000 (Franz Steiner Verlag, 2000) confirma essa realidade quando afirma que, depois de 68 AD, "as legiões ... consistem quase exclusivamente de provincianos. "(Keppie página 116) Em outras palavras, depois de 68 AD os soldados das legiões romanas eram quase exclusivamente não-italiano, povos das províncias nas redondezas do Império.

Os estudiosos de historia afirma categoricamente que o exercito romado em 70 depois de Cristo, era composto por 99% de não-italianos (Westview Press, 2001) (página 97-98).

Sara Elise Phang, Ph.D. autor do Serviço Militar Romano, ideologias de disciplina na República tardia e Principado (Cambridge University Press, 2008)  diz:

Para o público romano, o exército de 69-70 dC, provavelmente, parecia pouco diferente do que a sua contraparte no âmbito Júlio César. Os legionários usavam equipamento familiar, e marcharam atrás do aquila prata, suas legiões tendo nomes e títulos que refletiam suas origens e as façanhas dos dias anteriores. Mas, na realidade, muita coisa havia mudado: O que tinha sido um exército de italianos foi se tornando cada vez mais um exército de inspetores devido a nenhuma lealdade particular, ou ligação comum com o Senado ou a Roma ... Cada vez mais eles começaram a identificar seus interesses com os das províncias em que foram postados .... Por AD 69 Gallica III, como outras legiões longo estacionadas no Oriente, continha uma proporção muito elevada de homens nascidos nas províncias orientais. "(Phang página 44)
Gallica III foi uma das legiões que estava envolvido na destruição de Jerusalém.

Outra evidência de que legiões sírias do período Flaviano eram caracteristicamente "Sírio" de alguma forma vem de "referência a Legião 3 Gallica saudar o sol nascente 'Tácito, segundo o costume da Síria ... em 69 AD. (página 116) Nigel Pollard, Ph.D., professor de História Romana da Universidade de Oxford
Adorar o sol e a lua era costume tipico de pessoas que viviam no Oriente Medio.

Concluindo que, certamente os soldados "romanos" nas províncias orientais que destruíram Jerusalém e do Templo eram de fato os habitantes da Ásia Menor, Síria, Arábia e Egito. Mais uma vez, eles foram os ancestrais dos habitantes do Oriente Médio.
Contudo, entende-se melhor o contexto de Daniel 9:26 que o povo do príncipe seria todos esses citados ai.




13 comentários:

Fabiano Machado disse...

Muito bom. Acredito que realmente as 70 semanas não se cumpriram em 70 d.C., de modo que a última semana de Daniel ainda está para ocorrer na Grande Tribulação. Entretanto, não ficou claro a relação do Vaticano, nos nosso tempos, com o anticristo e o falso profeta. É evidente que existe uma relação intrínseca entre o Falso Profeta e o Papado de Roma.

Fernanda S Azevedo disse...

Fabiano. Estou redigindo um estudo que fala exatamente isso. Que o falso profeta tem a ver com os judeus e nao com o Papa.. Aguarde... Abraços - Shalom

Fabiano Machado disse...

Saiba que eu sempre tive um amor muito especial pelo povo judeu, entretanto, nos últimos anos, ao estudar sobre guerras e revoluções, iluminatis, conspirações em geral e, principalmente, sobre o que a bíblia fala sobre a grande tribulação e o Dia do Senhor, tenho desconfiado de que haja uma profunda relação do povo judeu com todos os principais acontecimentos históricos. Parece que tudo no mundo está relacionado a eles, inclusive a manifestação do anticristo e do falso profeta. A começar pelo rei Davi, ao qual Deus disse que a "espada" nunca se apartaria da sua casa, pelo terrível pecado que cometera com relação a Bateseba. Como consequência, seu filho (com Bateseba), Salomão, se corrompeu com mulheres de outras nações, introduzindo a idolatria e a bruxaria em Israel. Em, o reino se dividiu, foi julgado e exilado. Ao meu ver, parece que, ocultamente, essa tradição, ou "prostituição espiritual" de Israel se perpetua até hoje. Talvez isso explique por que Deus será tão duro com Israel. Estou acompanhando de perto os acontecimentos no Oriente Médio. Se as tuas suspeitas estiverem certas, imagino que o EI ainda trará muitos problemas naquela região, inclusive ao Ocidente, como já está acontecendo (o que, me parece curioso, diante da força dos americanos e ingleses), onde o presidente da Turquia, Erdogan, mostrará a sua grande força e capacidade, tornando-se um grande líder na região, e talvez, para o mundo. De qualquer forma, estou curioso para ver a relação que você fará do falso profeta com o povo judeu. Um abração - Shalom.

Nicolau disse...

Prezada Fernanda,
A relação dos povos que fizeram parte desses exércitos é justamente o que eu estava buscando,. Isso confirma que o anticristo virá do Oriente, parabéns pela publicação.
Sugiro que leia o livro: "The Islamic Antichrist " que faz uma interpretação escatológica voltada para um inimigo vindo do Oriente médio.

Nelson Rogério disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nelson Rogério disse...

Muito bom esse texto. Ele demonstra o quanto esse assunto é complexo, pois existem muitas variáveis a serem consideradas. Gostei!

Samis disse...

https://natanrufino.com.br/videos/os-ultimos-dias-videos/o-anticristo-vira-da-europa-2/

Samis disse...

https://natanrufino.com.br/videos/os-ultimos-dias-videos/o-anticristo-vira-da-europa-2/

Samis disse...

https://natanrufino.com.br/videos/os-ultimos-dias-videos/o-anticristo-vira-da-europa-2/

thiago sanchez disse...

Um bom livro de uma testemunha ocular é: guerra dos judeus especificamente o volume VI

elias florentino disse...

No meio de tudo isso os judeus serão os que sofrerão no meio de tudo isso nas mãos do príncipe dos ismaelitas nada de judeu participar eles serão os perseguidos e essa vai ser a última vez nesse tempo após o príncipe do povo se apresentatar ao mundo começa uma contagem do primeiro dia de sete anos o fim começa a partir do aparecimento desde príncipe os judeus serão perseguidos em todos os cantos do mundo na segunda metade dos sete anos no fim o messias aparece trazendo a salvação para os judeus e para os povos que também serão perseguidos e mortos vem a ressurreição.

elias florentino disse...

No meio de tudo isso os judeus serão os que sofrerão no meio de tudo isso nas mãos do príncipe dos ismaelitas nada de judeu participar eles serão os perseguidos e essa vai ser a última vez nesse tempo após o príncipe do povo se apresentatar ao mundo começa uma contagem do primeiro dia de sete anos o fim começa a partir do aparecimento desde príncipe os judeus serão perseguidos em todos os cantos do mundo na segunda metade dos sete anos no fim o messias aparece trazendo a salvação para os judeus e para os povos que também serão perseguidos e mortos vem a ressurreição.

elias florentino disse...

No meio de tudo isso os judeus serão os que sofrerão no meio de tudo isso nas mãos do príncipe dos ismaelitas nada de judeu participar eles serão os perseguidos e essa vai ser a última vez nesse tempo após o príncipe do povo se apresentatar ao mundo começa uma contagem do primeiro dia de sete anos o fim começa a partir do aparecimento desde príncipe os judeus serão perseguidos em todos os cantos do mundo na segunda metade dos sete anos no fim o messias aparece trazendo a salvação para os judeus e para os povos que também serão perseguidos e mortos vem a ressurreição.

Shalom Adonai